Testemunhos Terapia Piramidal

“ Em meados de 2015 foi-me diagnosticado uma rotura no menisco do joelho direito, devido a uma pancada forte no joelho enquanto praticava Kickboxing. Fui encaminhado para cirurgia em ortopedia, como a única solução para recuperar.
A minha profissão é andar todo o dia em pé, e nos tempos livres pratico desportos de combate.

Na altura, tive que parar o desporto, por ordem médica, devido às dores e dificuldade nos movimentos, pois o meu joelho inchava e não permitia dobrar a perna nem levantá-la.
Fazia medicação, mas voltava sempre ao mesmo, no entanto, a operação para mim seria sempre em ultimo recurso.

Entrei em contacto com o Dr. Paulo Franco, que depois de lhe relatar a minha situação, iniciou comigo um tratamento semanal com uma Pirâmide colocada diretamente em cima do meu joelho. Ali ficava deitado durante quase 1 hora, sozinho, numa marquesa. Nesse tempo, sentia um calor local e ao mesmo tempo sentia que me tratavam o joelho…

Após cerca de 3 meses de sessões de tratamento semanal, comecei lentamente a iniciar musculação no meu ginásio apenas da cintura para cima….depois a fazer passadeira….depois bicicleta….e por fim voltei aos meus treinos de Kickboxing, de início apenas com movimentos de braços… mas HOJE faço tudo normalmente, sem restrições e sem quaisquer dores!

Tudo isto, com a ajuda do Dr. Paulo Franco e da sua Terapia Piramidal. OBRIGADO! 

João Esteves, 46 anos

“Recentemente apareceram-me alguns quistos na mama esquerda, estavam inflamados e doíam-me muito, fui à ginecologista e fui fazer uma ecografia mamária, mas durante todo este processo, que ainda demora algum tempo até receber os resultados, a dor continuava e falei com o Dr. Paulo para saber se havia alguma coisa que podíamos fazer.

O Dr. Paulo sugeriu a Terapia Piramidal, que tem muitos efeitos e um deles é mesmo anti-inflamatório, por isso fiz então a terapia na mama esquerda, uma sessão entre os 20/30 minutos onde estive deitada com a pirâmide por cima de mim, alinhada com o local da dor, no final da primeira sessão e a dor já estava diferente, apesar de ainda sentir o caroço inchado, já não tinha uma dor persistente. Voltei a fazer esta terapia algumas vezes e agora raramente sinto dor, e o inchaço está muito inferior. Ainda estou à espera de consulta para ir ver os resultados mas por agora estou muito mais aliviada.”

Leonor Santos, 31 anos