Testemunhos Terapia Taças Tibetanas

Enjoos, irritabilidade, instabilidade emocional e severa dor lombar

“Tenho 28 anos e vou ser mãe pela primeira vez. Decidi procurar o Dr. Paulo Franco para minorar os sintomas incomodativos do início da gravidez, como enjoos, irritabilidade e instabilidade emocional e também para tratar uma severa dor lombar que durava há já várias semanas. Além disso, gostava de proporcionar ao meu bebé boas experiências sensoriais e energéticas, partilhando relaxamento e bem-estar.

Logo na primeira sessão de Taças Tibetanas e de Cura Quântica senti uma tranquilidade, uma paz, uma harmonia e um equilíbrio indescritíveis! A dor lombar desapareceu e não voltou a incomodar-me até hoje, e os enjôos tornaram-se mais suportáveis. A nível emocional, senti uma grande diferença, pois o tratamento ajudou-me a recuperar o equilíbrio, tão importante nesta fase especial da minha vida.

Com todos estes benefícios para a mãe, só posso concluir que o meu bebé também desfruta com prazer da maravilhosa experiência do som das Taças e da Cura Quântica que nos envolve numa extraordinária sensação de bem-estar.”

Marta Duarte, 28 anos
Equitadora

“O som envolve a forma, o tilintar do metal, a precisão do toque na taça, a vibração. Uma ausência do corpo, a presença do ser… do que se é…do que se sente. Da forma fica o nada, a presença de uma ausência, num outro espaço, num outro tempo, num agora de sentires, sem corpo…só alma.”

Maria Melo, 30 anos
Terapeuta Ocupacional

Varizes, derrames, edema e dores numa perna

“No decurso da minha segunda gravidez, por volta da 20ª semana de gestação surgiram-me edemas, derrames e varizes na perna esquerda, relacionados com insuficiência venosa e que me causavam dor, calor intenso na perna para além do impacto estético negativo. Um ponto problemático era o facto de, com o avançar da gravidez e aumento natural de peso, esta situação puder vir-se a agravar, correndo sérios riscos de desenvolver uma flebite, o que me causava bastante ansiedade e não me deixava experienciar de uma forma tranquila a gravidez, pois ainda faltava bastante tempo para nascer a minha bebe e até lá, do ponto de vista da medicina tradicional, não existiam opções de tratamento, apenas de alívio sintomático, através de repouso e uso de meias de contenção forte.

Foi-me sugerido que, 6 meses após o parto, fosse avaliada a situação, sendo a solução mais provável a cirurgia para remoção da veia safena. Desanimador!

Procurei o Dr. Paulo que de imediato me apresentou várias hipóteses de intervenção e iniciámos um tratamento semanal associando a Terapia de Som com Taças Tibetanas ao Quantum Wave Laser, que tiveram efeitos quase imediatos ao nível da dor e calor na perna, tendo ficado optimista para poder vivenciar de forma mais tranquila este momento único da minha vida que é a chegada da minha filha. Acredito mesmo que sem este tratamento este problema estaria sintomaticamente agravado. O meu obrigado ao Dr. Paulo!”

Matilde Batalha, 33 anos
Psicóloga Clínica

“Tenho 31 anos e sou Psicóloga Clínica. Não considerando de extrema importância o meu diagnóstico médico para este testemunho, partilho apenas que sofro de Dor Crónica, motivo principal para ter recorrido às Terapias Alternativas, através do Dr. Paulo Franco, sendo que a medicina tradicional me “cruzou os braços”, ao dizer: “Não há mais a fazer”.

A escolha das Técnicas a que recorri até então, partiu da opinião e conhecimento do meu Terapeuta, sendo que as experiências por que tenho passado, me levam cada vez mais a acreditar que AINDA é possível algo.

Partilho as que mais impacto tiveram em mim, no alívio da minha dor física, já não controlável com fármacos.

Falo-vos da Cura Quântica e das Taças Tibetanas.

As Taças Tibetanas foram para mim uma revelação. É simplesmente sublime a forma como o som nos envolve, como as “ondas vibracionais” ecoam no nosso interior, devolvendo um conforto e uma serenidade imensa.

Inicialmente, pensei que apenas iria sentir o som, a leveza… mas as sensações revelaram-se de maior impacto, deixando-me incrivelmente surpreendida.

Parece que entramos numa outra dimensão, num estado em que o corpo deixa de fazer parte do corpo, em que a mente se afasta do que é racional e até mesmo do inconsciente, apenas flutuamos.

O espaço físico deixa de existir, sente-se apenas leveza. O corpo paira. A mente adormece. Os sentidos ficam dormentes, porém, a audição apurada.

Quando esse “momento” termina, sente-se o corpo regressar lentamente, SEM dormência, SEM DOR.

Foi sem dor que fiquei. Foi com uma serenidade enorme que enfrentei mais um dia, de todos os dias, ao sair do Consultório.

Foi ainda, questionando-me várias vezes “Como?”, que encontrei “algo” capaz de me devolver um misto de paz, tranquilidade, energia interior, sensação de bem-estar e acima de tudo, ausência de dor. E tudo isto, através de sons… que de simplicidade têm muito, mas que de “meras taças” não têm nada.

A Cura Quântica, técnica já por mim conhecida, revelou-se AINDA mais preciosa quando sentida em semanas consecutivas.

A leveza conferida pelas Taças Tibetanas, é igualmente sentida com a Cura Quântica, mas acrescenta ainda mais um pormenor… aqui “caminha-se” por vários sítios em simultâneo. Quando falo em “sítios”, refiro-me a espaços, contextos, lugares… que eventualmente até nunca tenhamos estado, mas onde gostaríamos de ir. Com a Cura Quântica, senti o que em mais nenhuma técnica ou prática de relaxamento consegui até então a ausência de pensamentos recorrentes, a chamada “ruminação mental”.

Desde o momento em que o meu corpo repousa na marquesa, ao momento em que “desperto” – sim, porque a leveza é tanta que se assemelha a um 2º acordar – estou totalmente ausente do que me incomoda, do que me preocupa, das obrigações, do mundo que deixei lá fora, fora da porta do Consultório.

À medida que o corpo vai relaxando, a noção física passa à sensorialidade. Sente-se conforto, alívio (nas zonas ditas mais frágeis ou afectadas), expansão de energia, sensações circulares de calor… e tantas outras que me sinto talvez ainda “incapaz” de descrever.

Na Cura Quântica, encontro o analgésico para a dor que me consome diariamente, encontro ainda, o único momento onde me sinto LIVRE, livre dos pensamentos que nos perseguem, diariamente.”

Marta Oliveira e Silva, 31 anos
Psicóloga Clínica

“A Cura Quântica veio até mim numa altura de profunda desorientação, numa encruzilhada em que simplesmente não sabia que rumo tomar.

Durante o tratamento, a experiência de magnetismo foi de tal maneira intensa que não consigo descrevê-la senão através de uma imagem: o meu corpo era como uma vela que derretia, mudando em forma e consistência, num misto entre fantasia e realidade, como num quadro de Dali.

Depressa percebi que aquela imagem era de facto e afinal um espelho da mudança que se iniciava em mim a partir daquele preciso momento. No próprio dia os sentimentos de bem-estar, iniciativa, alegria de viver e centramento assaltaram-me, permitindo-me deixar para trás o limbo em que me encontrava.

Nos dois anos e meio que passaram desde essa primeira experiência, vejo que todos os dias de confusão e conflito interno foram também, cada um deles, de busca e encontro.

A experiência com a Cura Quântica foi, sem dúvida, a porta que se abriu para o início de um novo caminho, um caminho de luz, sem retorno − o caminho ao (re)encontro de mim própria.”

Sofia Guerra, 28 anos
Psicóloga, Terapeuta de Reiki e de Terapia de Som com Taças Tibetanas

“Eu tinha dores na parte de trás da articulação do joelho esquerdo, o que me incomodava muito, sobretudo ao levantar-me de uma cadeira e ao andar.

Após duas sessões com as Taças Tibetanas, melhorei consideravelmente, não sentindo, agora, dores.”

Maria Costa, 59 anos
Aposentada